Mensagem do dia (30/03/2024)

Parece vencido, sua obra parece destruída, quase todos os discípulos partiram. Maria não cessa, um só instante, de acreditar que Ele é o Salvador, o Verbo de Deus encarnado que ressuscitará ao terceiro dia, conforme predissera. Maria compreende, como ninguém jamais compreenderá, as sete palavras que Ele pronunciou antes da morte. Ela oferece ao Pai este Filho, não apenas querido, mas legitimamente adorado, com todo o amor de que é capaz, e oferece o amor, ainda maior, d’Aquele que morre por nós. Oferecendo-o, deste modo, recebe a plenitude final da graça, que a torna, mais do que nunca, Mãe dos homens, co-redentora e medianeira universal.

Padre Reginald Garrigou-Lagrange.

Mensagem do dia (15/10/2023)

Revesti-vos, pois, da veste nupcial, vós que ainda a não tendes. Já entrastes na sala do banquete, ides aproximar-vos da mesa do Senhor, mas não tendes ainda, em honra do Esposo, a veste nupcial: procurais ainda os vossos interesses e não os de Jesus Cristo. Usa-se o traje nupcial para honrar a união nupcial, isto é, o Esposo e a Esposa. Vós conheceis o Esposo, é Jesus Cristo; conheceis a Esposa, é a Igreja. Prestai honra àquela que é desposada, prestai honra também Àquele que a desposa.

Santo Agostinho.

Mensagem do dia (18/06/2023)

Doze homens partiram de Jerusalém para percorrer o mundo. Eram homens simples e que não sabiam falar. Mas, pelo poder de Deus, anunciaram a todos os homens que eram enviados de Cristo para ensinar a todos a Palavra de Deus. E nós, que antes só sabíamos matar-nos uns aos outros, além de já não combatermos os nossos inimigos, para não mentir nem enganar os nossos juízes, confessamos a Cristo com alegria e morremos mártires.

São Justino.

Mensagem do dia (15/03/2023)

Aprenderei a manter-me oculta em Deus, com o desejo de servi-Lo sem buscar, para coisa alguma, o testemunho dos homens e a satisfação de Sua comunicação, contentando-me com que Deus veja o que quero ser para Ele: para tal finalidade, quer que me entregue a Ele, a fim de realizar em mim esta disposição: assim o tenho feito, por Sua graça.

Santa Luísa de Marillac.

Mensagem do dia (31/12/2022)

Neste Ano Novo, me proponho a começar uma vida nova. O que acontecerá comigo neste ano novo, eu não sei. Me abandono a Vós, meu Deus. Todas as minhas aspirações, todos os meus afetos serão todos para Vós. Sinto-me fraca, ó Jesus, mas com a vossa ajuda, espero e resolvo viver de outro modo, isto é, mais próxima de Vós.

Santa Gemma Galgani.

Mensagem do dia (26/07/2022)

O passado, o presente, são humanos. Em Deus não há passado, há apenas o presente. Quando Deus nos observa vê toda a nossa vida. E como é infinitamente bom procura sempre o nosso bem. Portanto, não temos de nos preocupar com o que nos possa acontecer. Porque tudo o que lhe acontece é por vontade de Deus e para o bem da sua alma. É o essencial para nós. Deus é infinitamente bom e todo-poderoso e ajuda-nos. Basta-nos fazer isso para sermos felizes.

Monge cartuxo entrevistado pelo filme documentário O Grande Silêncio.

Mensagem do dia (03/07/2022)

O martírio dos santos apóstolos Pedro e Paulo consagrou para nós este dia. Não falamos de mártires desconhecidos. Sua voz ressoa e se espalha em toda a terra, chega aos confins do mundo a sua palavra. Estes mártires viram o que pregaram, seguiram a justiça, proclamaram a verdade, morreram pela verdade.

Santo Agostinho.

Mensagem do dia (23/06/2022)

O nascimento deste menino traz-me uma alegria indizível pois é uma fonte de enormes bens para o mundo. Ele foi o primeiro a instruir a Igreja, começando a formá-la pela penitência, preparando-a pelo batismo e, quando a tinha já preparada, entregando-a a Cristo e unindo-a a Ele. Ensinou-a a viver na sobriedade e, com o exemplo da sua própria morte, deu-lhe forças para morrer com coragem. Desse modo, ele preparou para o Senhor um povo perfeito.

Beato Guerric d’Igny.

Mensagem do dia (16/04/2022)

Depois da deposição de Jesus no sepulcro, Maria é a única que permanece a ter viva a chama da fé, preparando-se para acolher o anúncio jubiloso e surpreendente da ressurreição. A espera vivida no Sábado Santo constitui um dos momentos mais altos da fé da Mãe do Senhor. Na obscuridade que envolve o universo, Ela se entrega plenamente ao Deus da vida e, recordando as palavras do Filho, espera a realização plena das promessas divinas.

São João Paulo II (Papa).

Mensagem do dia (14/04/2022)

Uma das memórias de Cristo mais dignas de serem recordadas é, evidentemente, esta última refeição, a santíssima ceia, onde o cordeiro pascal foi dado a comer, mas onde o Cordeiro Imaculado, que tira os pecados do mundo, foi também oferecido em alimento sob a espécie de um pão «capaz de todos os sabores e adaptado a todos os gostos». Neste festim, a doçura da bondade de Cristo brilha admiravelmente: Ele senta-Se à mesma mesa e come do mesmo prato que estes pobrezitos, os seus discípulos, e que Judas, o traidor. Admirável exemplo de humildade resplandece então, quando o Rei da glória, com uma toalha à cintura, lava com enorme cuidado os pés destes pescadores, incluindo aquele que O havia traído. Igualmente admirável é a generosidade da sua magnificência, quando dá o seu santíssimo corpo em alimento e o seu verdadeiro sangue como bebida a estes primeiros sacerdotes, e consequentemente a toda a Igreja e ao mundo inteiro, a fim de que aquilo que em breve seria um sacrifício agradável a Deus e o preço inestimável da nossa redenção fosse o nosso viático e o nosso sustento. Enfim, o admirável excesso do seu amor brilha principalmente na terna exortação que, amando os seus até ao fim, lhes dirige para os confirmar no bem, advertindo especialmente a Pedro para lhe fortificar a fé e oferecendo o peito a João para suave e santo repouso. Todas estas coisas são, pois, admiráveis e cheias de doçura! Pelo menos para a alma que é chamada a refeição tão excelente e que acorre com todo o ardor do seu espírito, a fim de poder lançar aquele grito do profeta: «Como suspira a corça pelas águas correntes, assim a minha alma suspira por ti, ó Deus».

São Boaventura.

Mensagem do dia (12/04/2022)

O Senhor olhou, portanto, para Pedro; no meio das calúnias dos sacerdotes, das mentiras das testemunhas, das injúrias dos que Lhe batiam e escarneciam dele, encontrou o seu discípulo, abalado por esses olhos que haviam visto antecipadamente a sua perturbação. A Verdade penetrou-o com o seu olhar, chegando aonde o seu coração precisava de ser curado. Foi como se a voz do Senhor se tivesse feito ouvir para lhe dizer: «Aonde vais, Pedro, porque foges? Vem a Mim, confia em Mim e segue-Me. Este é o tempo da minha Paixão, a hora do teu suplício ainda não chegou. Porque temes agora? Também tu o ultrapassarás. Não te deixes desconcertar pela fraqueza que assumi. Por causa do que tomei de ti é que tremi, mas tu não tenhas medo por causa do que vês em Mim».

São Leão Magno (Papa).