Mensagem do dia (15/03/2020)

Dir-se-ia que o Senhor, por vezes, troca os papéis, quando mediante a graça atual nos solicita para que oremos, para que tributemos à Providência este culto que lhe é devido e dela recebamos o que mais temos necessidade. Lembremos aquele exemplo de Nosso Senhor induzindo a Samaritana a orar: “Se conhecesses o dom de Deus, você mesmo me pediria de beber… e Eu te daria a água viva…, que jorra para a vida eterna.” Nosso Senhor suplica para que recorramos a Ele; Ele é “paciente em esperar e impaciente para conceder”. Nosso Senhor é como um pai que tem de antemão resolvido agradar a seus filhos, porém os induz a pedir-lhe. Jesus queria converter a Samaritana, e pouco a pouco fez a oração brotar da alma daquela mulher; porque a graça santificante não é como um licor que se verte em um vaso inerte, antes bem, uma vida nova que o adulto não recebe sem a condição de desejá-la.

Padre Reginald Garrigou-Lagrange.

Mensagem do dia (24/11/2013)

Justo é que a Igreja Católica, reino de Cristo na Terra, chamada a estender-se a todos os homens, a todas as nações do universo, multiplicando os preitos de veneração, celebre, no ciclo anual da Liturgia Santa, a seu Autor e Instituidor como a Rei, como a Senhor, como a Rei dos reis.

Papa Pio XI.

Mensagem do dia (29/03/2010)

Sem nada tirar ao dever da caridade para com os necessitados, aos quais sempre se hão de dedicar os discípulos – ‘Pobres, sempre os tereis convosco’ –, Jesus pensa no momento já próximo da sua morte e sepultura, considerando a unção que Lhe foi feita como uma antecipação daquelas honras de que continuará a ser digno o seu corpo mesmo depois da morte, porque indissoluvelmente ligado ao mistério da sua pessoa.

Papa João Paulo II.