Para a glória de Deus, em comunhão com a Santa Igreja Católica Apostólica Romana

Jornada Cristã


terça-feira, 30 de junho de 2009



Helen Slatter, de 43 anos, perdeu o seu emprego no Gloucestershire Royal Hospital, do Reino Unido, por não retirar o crucifixo que trazia ao pescoço, noticia a Renascença.

O pedido para que retirasse a cruz e o fio que a suporta foi feito pelos responsáveis do hospital que pertence à National Health Service, o Serviço Nacional de Saúde daquele país.

Segundo os responsáveis do hospital, o crucifixo apresentava dois perigos. Por um lado podia ser um ponto de contágio, albergando infecções, e por constitui um perigo de saúde uma vez que: “um doente pode agarrar um colar ou um fio, causando ferimentos ao funcionário”.

O hospital ainda sugeriu que Helen Slatter andasse com a cruz no bolso, mas a católica inglesa recusou-se.

Lamentando a perda do seu emprego, Helen perguntou porque razão não tinha sido informada destas condições na sua entrevista de emprego, alegando que do ponto de vista da NHS era um desperdício, pois tinham gasto dinheiro a treiná-la. Ainda por cima, afirmou: “trabalhei aqui durante 15 meses sem que isto constituísse qualquer problema”.

A NHS insiste que não se trata de uma questão religiosa, mas sim de ordem disciplinar, a ver com a saúde e segurança no local de emprego, e o respeito pela farda obrigatória, e realça que a enfermeira não foi despedida nem suspensa, tendo optado por não se demitir para não incorrer num processo disciplinar.

Casos recentes, contudo, parecem apresentar um padrão. O ano passado a enfermeira Caroline Petrie foi suspensa por se ter oferecido para rezar por uma doente. O caso suscitou tanta polémica que o hospital readmitiu-a, clarificando que pode continuar a rezar pelos doentes desde que averigúe de antemão se eles têm alguma “necessidade espiritual”.

Fonte: Agência Ecclesia.

Postado às 19:03 | Tags: , , , , , ,

18 Comentários

  1. Milton Córdova Júnior disse:

    Procurando ser justo com os fatos, se a situação se deu exatamente da forma como está descrita, não me pareceu caso de “perseguição aos cristãos”…ao contrário, me pareceu até que a enfermeira foi um tanto radical ao não aceitar as ponderações de seus superiores – que, registre-se, me pareceram bastante razoáveis (ainda que fossem “desculpas”). Ser cristão, ao meu ver, não é ostentar ou parecer, EXTERIORMENTE, que se é cristão. Ser cristão é, acima de tudo, INTERIORMENTE cristão.

    Deus esteja convosco.

  2. JORNADA CRISTÃ disse:

    Procure aqui mesmo neste blog e em agências de notícias católicas (Zenit, Fides, etc, há uma seção de “Links” aqui) outros exemplos de repreensão aos símbolos cristãos ou às manifestações públicas de fé cristã na Europa. Não se trata de um episódio isolado: a manifestação pública da fé cristã está sendo desencorajada, ridicularizada e até mesmo proibida em vários lugares. Obrigado pela visita.

  3. Milton Córdova Júnior disse:

    Sim…sabemos que existe fatos desse tipo acontecendo pelo Mundo. Mas, o que me chama a atenção é que a Inglaterra é, inequivoca e históricamente Cristã. A Igreja Anglicana, por exemplo, tem uma poderosa atuação por lá, sem contar com outras igrejas católicas, protestantes, etc. Então este fato – particularmente este fato, e não outros – chama a atenção por não fazer sentido. Seria a mesma coisa que algum adepto do hinduísmo alegar perseguição na Índia, ou um budista alegar perseguição no Japão. A própria sociedade local(ampla maioria) puniria aquela suposta perseguição. Ainda assim, penso que é preciso VIGIAR, vigiar sempre. Abraços fraternos.

  4. Michele Oliveira disse:

    Gostaria que fosse esclarecido uma coisa: no hospital referido é proibido o uso de qualquer tipo de adorno?Porque se for, acredito que isso seria relatado logo que a funcionaria foi admitida. Afinal, 15 meses é um bocado de tempo para se tomar uma decisão simples como essa se ela fosse mesmo rotineira.Me parece um caso sim de perseguição, pois se fosse realmente verdade que o crucifixo em questão poderia ser um ponto de contágio, nenhum tipo de bijuteria seria permitido no hospital e não teriamos nenhuma polêmica.

  5. Marcos disse:

    Caro Milton Cordova Júnior, vou ser muito franco contigo pois tu me pareces um irmão na fé e vejo-me na obrigação de alertá-lo: tu estás muito por fora do que ocorre no mundo ocidental e em especial na Inglaterra. A Igreja Anglicana não tem poder nenhum na Inglaterra (seu chefe é o Rei, não outra autoridade espiritual) e a maior prova disso é que a Igreja Anglicana já cedeu tanto em sua doutrina que muitos anglicanos estão pedindo admissão na Igreja Católica, especialmente nos EUA. O que ocorre é que o inimigo está dentro das comunidades cristãs e está procurando modificá-la desde dentro. Somente a Igreja Católica (indestrutível por promessa divina), e alguns protestantes com especial intervenção do Espírito Santo estão se mantendo fiéis. Esta é a mais pura verdade. Cito algumas referências (de inspirações católicas e protestantes) para que tenhas notícias que não saem na grande mídia, além é claro deste mesmo sítio:

    http://www.wnd.com
    juliosevero.blogspot.com
    http://www.lifesitenews.com
    blogtalkradio.com/olavo
    http://www.renewamerica.us
    http://www.frc.org
    http://www.americanpapist.com/blog.html
    http://www.aciprensa.com

    Saudações,
    Marcos

  6. Daurian disse:

    Perseguição???? O hospital tem razão, o acessório é um criadouro de bactérias e pode vir a cair ou ser engolido acidentalmente por um paciente idoso em coma ou uma criança.

    Perseguição aí só se for contra o bom senso.

  7. JORNADA CRISTÃ disse:

    Então, idiota, por que não avisaram isso à enfermeira durante sua entrevista de emprego e ainda por cima esperaram 15 meses para notificá-la a esse respeito?

  8. Marcos disse:

    Para quem tem dúvida de que nos estão atacando desde dentro, vejam a reportagem abaixo. Como disse antes, somente permanecem fiéis a Igreja Católica (por proteção divina, e somente os que estão unidos ao Papa) e alguns poucos protestantes especialmente ajudados pelo Sspírito Santo.

    London, England, Jul 17, 2009 / 02:48 am (CNA).- Prominent biblical scholar and Anglican Bishop N.T. Wright has said the Episcopal Church’s recent decision to allow homosexuals to be ordained as bishops will mark a “clear break” with the Anglican Communion and formalizes a “schism.” He also insisted that chastity is not “optional” for Christians.

    Completo em:
    http://www.catholicnewsagency.com/new.php?n=16587

  9. Daurian disse:

    Então, retardado, como vc sabe que ela não foi avisada? E porque o hospital esperou 15 meses pra iniciar a tal da perseguição anti cristã? E qual a diferença entre levar o crucifixo no bolso? Teu deus só vê se tiver pendurado?????

  10. JORNADA CRISTÃ disse:

    É claro que essa discussão está baseada no que diz a matéria: a enfermeira não foi avisada durante a entrevista de admissão e durante os 15 meses em que esteve trabalhando no hospital de que não poderia usar o seu crucifixo, que sempre esteve a vista de todos. Se você estivesse ciente do que está acontecendo atualmente na Europa e nos Estados Unidos, saberia que lentamente a liberdade de expressão dos cristãos está sendo tolhida, e isso é percebido através de pequenos acontecimentos, tais como:

    Site cristão norte-americano bloqueado pelo Google

    Escola inglesa proíbe alunos de usarem crucifixos – embora permita alunos da religião Sikh usarem adereços religiosos

    Fifa repreende comemoração religiosa do Brasil na África

    Sempre que possível, estarei divulgando fatos similiares.

    Se o hospital demorou 15 meses para avisar a enfermeira de que não poderia usar o crucifixo, é óbvio que o motivo não teve nada a com questões sanitárias, já que ela própria, segundo a matéria, passou por um período de treinamento. É óbvio que o crucifixo teria sido notado e ela seria advertida a esse respeito.

    O que está acontecendo na Europa e no ocidente, em geral, é uma discreta, porém cada vez maior intimidação dos cristãos, para que sua fé seja relegada ao espaço privado, proibindo sua manifestação pública. Isso acontece de forma bem sutil, para dificultar uma possível resistência dos grupos cristãos e para que gente burra como você (se não for burro, é mal intencionado mesmo) venha com esse tipo de comentário, jurando que está tudo bem e que os cristãos são neuróticos e têm mania de perseguição – e deviam mais era usar o crucifixo no bolso, mesmo (liberdade de expressão é bom só pra sua turma, não é?)

    No mais, vai lamber sabão.

  11. moisés luterano disse:

    Falando em Inglaterra, Lenon disse uma vez que um dia o Cristianismo iria acabar. Os Beatles é que se findaram, sobretudo o próprio Lenon de maneira trágica. A Invictíssima Bíblia e o Credo Niceno vivem pela Graça do Trino Deus!

  12. Karina disse:

    O Marco pergunta se “O seu Deus só vê (o crucifixo) se estiver pendurado?” Não, Marcos, Deus conhece nossos corações e não “precisa” de manifestações externas. No entanto, Lhe é agradável manifestações sinceras de nosso amor por Ele, a Bíblia nos relata casos de manifestações de alegria, louvor, por aqueles que acreditavam. Assim, o dia que me proibirem de sair com meu terço na mão ou no carro (que por si só, pelo objeto em si, não incomoda ninguém), é sinal de que a simples lembrança de DEUS está incomodando a sociedade.

  13. Milton Córdova Júnior disse:

    O Marcos fez um importante comentário, quando disse que “o inimigo está dentro das comunidades cristãs e está procurando modificá-la”. Concordo, pois vejo, com muita tristeza e preocupação, cristãos criticando ou atacando outros cristãos, apenas pelo fato de pertencerem à outras igrejas ou denominações, incentivados por palavras equivocadas (ou mal intencionadas) de seus próprios sacerdotes (padres, pastores, etc). Isso gera apenas a divisão, que é justamente o que o inimigo deseja. sendo que Jesus já alertava, há mais de dois mil anos, quando disse que “um Reino dividido por si mesmo não subsiste”, e “quem não é contra nós, é por nós”. A esses cristãos, que perdem tempo em criticar ou atacar os outros cristãos, achando que somente eles estão com a razão ou que só eles tem a Deus, advirto: estão fazendo, com eficiência invejável, o trabalho do inimigo e que ele (inimigo) tanto deseja.

  14. Paulo Roberto disse:

    Perseguir o crucifixo é ato de uma minoria, que fala muito e não faz nada pelo próximo. A história da humanidade se divide em Antes e Depois de Cristo. Se não fosse a Igreja, o Ocidente não existiria do jeito que é hoje. Toda a formação da cultura ocidental e seu progresso passa pela história da Igreja. A própria ciência avançou muito pelo conhecimento que havia sido conservado nos mosteiros, enquanto nobres estúpidos só pensavam em guerrear, fazer orgias e se empanturrar de comida.Perseguição inútil e estúpida de ateus recalcados.

  15. Leonel Donovan disse:

    Pessoalmente acho que não houve perseguição religiosa,pois tenho conhecidos que trabalham em vários setores governamentais(pricipalmente na região de Leeds) e usam símbolos religiosos,mas nunca foram aconselhados a retirá-los.Acredito mesmo que seje por precaução médica.

  16. paty disse:

    me desculpe, sou médica, e sinceramente nunca vi alguém proibir uso de correntes, brincos, anéis em hospitais, a não ser que trabalhe num bloco cirúrgico, aí tem que tirar. obviamente me parece perseguição religiosa, a não ser que, como escreveu a leitora Michele, o hospital proíba QUALQUER uso de joias ou bijuterias.
    ridículo dizer que a corrente transporta germes, enquanto nós médicos usamos estetocópios o dia inteiro examinando diversos pacientes no mesmo dia e tem muitos que nem são capazes de passar um álcool no seu instrumento de trabalho.

  17. Maria Betania disse:

    Todo mundo sabe que isso é perseguição religiosa e cristã. Só os idiotas,hipócritas e fariseus buscam desculpas esfarrapadas para tais proibições.A cruz incomoda essa gente, assim como incomoda o demonio. Eles e o capeta, são farinha do mesmo saco, são da mesma linhagem, assim como aqueles que estão seguindo o mesmo exemplo aquí no Brasil. Não vai parar nisso, não. As coisas vão piorar. Hoje proibe o crucifixo, amanhã vão querer tapar a boca da gente que reza e canta louvores a Deus.
    Isso é perseguição, sim, porque no início, que cuidava dos doentes eram as freiras que trabalhavam na cruz vermelha e nunca contaminaram ninguém com o sinal do crstinianismo que traziam no pescoço. Antigamente o mundo era cristão e hoje são ateus. Isso é desculpa

  18. Zélia Maria disse:

    Taí uma bela profecia, real e contundente!

Deixe seu comentário


Get Adobe Flash player Plugin by wpburn.com wordpress themes
%d blogueiros gostam disto: