Para a glória de Deus, em comunhão com a Santa Igreja Católica Apostólica Romana

Jornada Cristã


sexta-feira, 24 de abril de 2009



A organização Christian Solidarity Worldwide (CSW) pede a imediata libertação de duas mulheres que abandonaram o Islam e se converteram ao Cristianismo, detidas sem acusação e, segundo relatos, mantidas sob más condições sanitárias.

Maryam Rostampour, de 27 anos, and Marzieh Amirizadeh, 30, estão atualmente presas na prisão de Evin, onde a jornalista iraniano-americana Roxana Saberi também se encontra detida. Elas dividem uma cela com outras 27 mulheres.

As duas foram presas por um oficial de segurança iraniano no dia 5 de março, depois de terem o apartamento revistado e suas Bíblias foram confiscadas, entre outros objetos. As mulheres eram conhecidas por serem cristãs praticantes.

Maryam e Marzieh foram interrogadas pela polícia em Gysha, antes de serem levadas ao centro de detenção Vozara. Elas sofreram privação do sono, como parte do interrogatório a que foram submetidas. No dia 18 de março, elas foram levadas à área 2 da Prisão Nacional de Segurança da Corte Iraniana Revolucionária, antes de serem enviadas para a prisão de Evin.

Nenhuma das duas foram acusadas de qualquer crime definido pela lei iraniana ou pela legislação internacional, e também não tiveram permissão para contactarem advogados.

Uma fiança de US$ 400 mil dólares foi estipulada pelas autoridades iranianas depois que as famílias de Maryam e Marzieh apelaram pela sua libertação.

Uma das diretoras do CSW, Tina Lambert, afirmou: “A CSW está profundamente preocupada com a segurança de todos os iranianos que abandonaram o Islam, já que o número de prisões aumentou significativamente durante o ano de 2008. Essas preocupações aumentaram diante do fato de que o parlamento iraniano está debatendo atualmente um anteprojeto de lei que poderia aplicar a pena de morte para a apostasia do Islam.

Chamamos a atenção da comunidade internacional para a urgência da necessidade da libertação de Maryam e Marzieh. É absolutamente deplorável que essas mulheres estejam ilegamente detidas por exercerem seu direito humano fundamental da liberdade de pensamento, consciência e religião. O Irã segue como um agressor da liberdade de religião e crença, enquanto seu presidente, Ahmadinejad, descaradamente condena a abordagem da comunidade internacional pelos direitos humanos.”

Fonte: Christian Solidarity Worldwide. Tradução e adaptação de Matheus Cajaíba.

Postado às 20:35 | Tags: , , , , , , , , ,

Deixe seu comentário


Get Adobe Flash player Plugin by wpburn.com wordpress themes
%d blogueiros gostam disto: