Para a glória de Deus, em comunhão com a Santa Igreja Católica Apostólica Romana

Jornada Cristã


sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015



A matéria a seguir, retirada do site “Live Action News”, mostra um exemplo do que é freqüentemente esquecido nas discussões sobre o aborto: muitas mulheres se sentem inseguras e desamparadas diante de uma “gravidez inesperada” e tomam a decisão precipitada de abortar o bebê, sem refletirem sobre as conseqüências de tão dramática decisão. Posteriormente, muitas dessas mulheres se arrependem amargamente da decisão que tomaram.

Bebê na sétima semana de gravidez sobrevive a tentativa de aborto

Desde 2012, 77 crianças sobreviveram a tentativas de aborto pela pílula RU-486, também conhecida como “a pílula do aborto”, graças ao site AbortionPillReversal.com e sua rede de 226 obstetras e ginecologistas pró-vida.

Mulheres que tomam a primeira dose da pílula e se arrependem podem procurar ajuda em clínicas pró-vida, que as colocam em contato com médicos capazes de receitá-las uma imediata dose de progesterona para bloquear os feitos abortivos da mifepristone. Os médicos acompanham o caso, para se certificarem que o bebê se manterá saudável.

A matéria cita o caso de uma mulher, identificada apenas como Jen, que tomou a primeira dose do medicamento, se arrependeu e procurou o serviço. Era uma mulher casada, estudante universitária, que já tinha um menino de aproximadamente dois anos. Ela pensou em abortar o bebê que esperava, por temer pelo futuro de sua carreira. Procurou uma clínica da Planned Parenthood, a maior rede de clínicas abortistas dos EUA. Na clínica aborteira, foi recusado a Jen fazer um ultrassom, para que ela ouvisse as batidas do coração do bebê que esperava, o que lhe angustiava. Depois de tomar a primeira dose da pílula do aborto, Jen não podia parar de pensar na possibilidade de a pílula parar as batidas do coração do bebê. Convencida de ter cometido um erro e arrependida, procurou ajuda. Em uma clínica pró-vida, Assure Pregnancy Center, um ultrassom mostrou a Jen seu bebê, na sétima semana de gravidez, e ela pôde ouvir as batidas de seu coração.

Jen foi assistida durante toda a gravidez pelos profissionais da clínica, e deu à luz a um menino, em dezembro próximo passado. “Existe ajuda para mulheres que estão confusas. Há uma nova luz em meu lar, que traz sorrisos para todos em minha família. E isso, eu não trocaria por nada desse mundo”. Os médicos pró-vida garantem que todas as mulheres que ajudaram se tornaram imensamente agradecidas pelos seus “bebês miraculosos”.

Link para o texto original: http://liveactionnews.org/women-who-sought-abortion-reversal-gives-birth-to-healthy-baby/. Tradução e adaptação de Matheus Cajaíba.

Postado às 12:00 | Tags: , , , , , , ,

Deixe seu comentário


Get Adobe Flash player Plugin by wpburn.com wordpress themes
%d blogueiros gostam disto: