Para a glória de Deus, em comunhão com a Santa Igreja Católica Apostólica Romana

Jornada Cristã


terça-feira, 27 de janeiro de 2009



Lá vou eu de novo falar de aborto. Na verdade, o tema é apenas pano de fundo; o que pretendo abordar é a sutileza do jornalista em manipular a informação que pretende divulgar, fazendo associações discretas, mas ainda assim notáveis, entre ser pró-vida e ser “retrógado”, “moralista” ou “reacionário”.

A matéria saiu em um blog do Ig, com o título Propaganda antiaborto usa imagem de Obama como exemplo. Reproduzo-a aqui, com meus comentários:

Não demorou muito para as primeiras críticas da direita contra Barack Obama começarem a aparecer. Obama liberou novamente o financiamento para entidades que apóiam o aborto e planejamento familiar na última semana, atitude definida como “decepcionante” pelo Vaticano.

Mas a polêmica maior veio com o anuncio publicado pelo Catholic Vote, um projeto de católicos, sem laços formais com a igreja, mas de grande influência na mídia e política dos EUA.

O anúncio, de título “Vida: imagine o potencial”, gerou polêmica ao usar a imagem de Barack Obama, um filho de casal interracial, abandonado pelo pai e com infância pobre, como possível vítima de aborto. Assista abaixo:

O anúncio diz:

“O futuro dessa criança é um lar em pedaços
Ele será abandonado por seu pai
Sua mãe solteira vai ter dificuldades para criá-lo
Apesar dos desafios que ele vai enfrentar
Esta criança
Vai se tornar
O 1º presidente negro dos Estados Unidos
Vida: imagine o potencial”

E aí? Polêmico mesmo ou estão querendo apenas tirar o foco das primeiras decisões de Barack Obama? Deixe seu comentário!

O texto já começa com uma sutileza digna de um elefante em uma loja de louças.

Sem criticar a propaganda em si, o iluminado colunista cutuca: “Não demorou muito para as primeiras críticas da direita contra Barack Obama começarem a aparecer.”

“Não demorou muito” quer dizer: o cara mal tomou posse e vocês já estão criticando? Que bando de impertinentes! Deviam calar a boca e ir pra casa.

Claro que esse comentário está de acordo com a lógica de jardim de infância que prevalece no jornalismo brasileiro, que trata seus leitores como dementes. Exemplo clássico: esquerda = bonzinhos, direita = malvados. Quem é contra o aborto, é de direita; logo, quem é contra o aborto é malvado.

Veja o anúncio. Se não souber inglês, veja a tradução. Estão falando alguma mentira ali? Alguma incorreção? Alguma imprecisão? Tem alguma coisa errada com o anúncio que o invalide, que tire sua credibilidade?

Depois, o arremate fantástico: “E aí? Polêmico mesmo ou estão querendo apenas tirar o foco das primeiras decisões de Barack Obama? Deixe seu comentário!”

O meu comentário é que já passou da hora de reagir frente a notinhas tão idiotas. O que o iluminado escriba quis dizer com “tirar o foco das primeiras decisões de Barack Obama”? Ora, esse anúncio é um tapa de luvas no presidente abortista justamente por uma de suas primeiras decisões – rever a proibição de financiamentos públicos do governo norte-americano para a prática de abortos nos Estados Unidos e no resto do mundo. Trata-se de uma referência, ainda que implícita, aos rumos políticos adotados por Obamba neste assunto. Ora, como o anúncio então poderia “tirar o foco” de uma das “primeiras decisões” do novo presidente, se o que faz é justamente chamar a atenção do público para ela? Que pergunta estúpida é essa, que encerra o texto apenas com o intuito de confundir o leitor?

Esse é o nível a que chegou a imprensa brasileira: o fundo do poço. E não se surpreendam, porque lá embaixo tem um alçapão.

P.s.: antes que eu me esqueça, já incluí o Catholic Vote na lista de links favoritos.

Postado às 12:43 | Tags: , , , , , , ,

Deixe seu comentário


Get Adobe Flash player Plugin by wpburn.com wordpress themes
%d blogueiros gostam disto: